quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Receita de Ano Novo


RECEITA DE ANO NOVO

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)
Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados,
começando pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.
Carlos Drummond de Andrade

Ser feliz...

"Ser feliz não é ter uma vida perfeita, sem dor e sem lágrimas; mas saber usar as lágrimas para regar a esperança e a alegria de viver. Ser feliz é saber usar as pedras nas quais tropeçamos para reforçar as bases da paciência e da tolerância. Não é apenas se encantar com os aplausos e elogios; mas saber encontrar uma alegria perene no anonimato.
(...)
Ser feliz é ter força para ser firme, mas ter coragem para ser gentil; é ter coragem para ter dúvida. Ser feliz é ter o universo como caminho; o amor como lei; a paz como abrigo; a experiência como escola; a dificuldade como estímulo; o trabalho como benção; o equilíbrio como atitude; a dor como advertência; a perfeição como meta. Ser feliz é amar a Deus e ao próximo."

Prof Felipe Aquino – Para ser feliz

terça-feira, 30 de dezembro de 2008



2009... alea iacta est

"Que a Paz reine entre os homens"

É só o que me interessa - Lenine

Daqui desse momento

Do meu olhar pra fora

O mundo é só miragem

A sombra do futuro

A sobra do passado

Assombram a paisagem

Quem vai virar o jogo e transformar a perda

Em nossa recompensa

Quando eu olhar pro lado

Eu quero estar cercado só de quem me interessa

Às vezes é um instante

A tarde faz silêncio

O vento sopra a meu favor

Às vezes eu pressinto e é como uma saudade

De um tempo que ainda não passou

Me traz o teu sossego

Atrasa o meu relógio

Acalma a minha pressa

Me dá sua palavra

Sussurre em meu ouvido

Só o que me interessa

A lógica do vento

O caos do pensamento

A paz na solidão

A órbita do tempo

A pausa do retrato

A voz da intuição

A curva do universo

A fórmula do acaso

O alcance da promessa

O salto do desejo

O agora e o infinito

Só o que me interessa

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Rosai por nós


Rosai por nós
Música: Chico César
Letra: Alice Ruiz
nossa senhora da flor roxa
rosai por nós
assim na vida
como no chão
a primavera de cada ano
nos dai hoje
encantai nosso jardim
assim como encantamos o do vizinho
e não nos deixeis cair na tentação
de esquecer tuas flores

Eu só peço a Deus...

video

Pois o Amor existe!



A partir de agora


Desabilito toda e qualquer palavra


Dou aos olhos o poder da conquista


Ao silêncio o dever da perpetuação


E ao gesto a obrigação da paz


Revoguem-se todas as leis em contrário


Pois o Amor existe.




Francisco Farro
"O Bicho"

Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem.

Manuel Bandeira

Medo

"Porque há para todos nós um problema sério... Este problema é o do medo."
Antonio Candido. Plataforma de uma geração

"Às vezes perdemos a força interior para tomar decisões. Parece mais fácil mover-se com a multidão do que escolher nossos próprios caminhos. Dualidade surge. Não queremos ser deixados de lado, mas também não concordamos com muitas coisas estranhas à nossa natureza. Sabemos que a paz é importante, mas ainda damos suporte a atitudes violentas. Entendemos o valor da felicidade, mas ainda nos apegamos ao que nos causa tristeza. A estabilidade vem quando decidimos fazer o que acreditamos ou temos certeza de estar correto."
Brahma Kumaris

domingo, 28 de dezembro de 2008

Sugestão de Leitura

  • O Pagador de Promessas - Dias Gomes
  • A Nudez da Verdade - Fernando Sabino
  • A Mandrágora - Nicolau Maquiável
  • O velho e o mar - Ernest Hemingway
  • O grande mentecapto - Fernando Sabino
  • O memorial do convento - José Saramago
  • Incidente em Antares - Érico Veríssimo
  • A hora dos ruminantes - J. J. Veiga
  • Bodas de sangue - Federico Garcia Lorca
  • Conto " A causa secreta" -Machado de Assis
  • Conto " Uns braços" - Machado de Assis

Natale hilare et Annum Nuovo

Um dos maiores oradores de Roma (se não o maior) dizia: “Historia magistra vitae” -“A história é mestra da vida”.
Entra ano, sai ano e as histórias são as mesmas.
Acidentes nas estradas com motoristas alcoolizados.
O congresso em recesso até o mês de fevereiro, enquanto alguns brasileiros sequer puderam passar o Natal com suas famílias.
Guerra no Oriente.
Nos Estados Unidos um homem, vestido de papai Noel, mata oito pessoas.
Enchente em São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro.
Bala Perdida nos morros cariocas, criança atingida. Será que a história é mestra? Será que ela nos ensinou alguma coisa?
Recebi mais de cem mensagens natalinas por e-mail, votos de felicidade, muita alegria no ano que se aproxima, blá, blá, blá, de gente que nem conheço.
Só concordo com uma coisas: no ano que vem tem mais.
Mais corrupção.
Mais criança com fome e frio.
Mais bala perdida.
Mais assalto em farol.
Mais jovens depressivos.
Mais um bando de coisa ruim que acontece todos os anos.
Alguns dirão que sou rancoroso, amargo, mal amado.
Peço desculpas a estas pessoas pela minha raivosidade é que não vivemos no mesmo mundo. Você é a Alice e eu sou Jean Valjean.
Eu gostaria muito de desejar coisas boas para todos, mas não posso, pois meu medidor de hipocrisia alcançou índices maiores que os medidores de chuva da cidade de São Paulo.
Desejar é para o Aladim.
Temos o péssimo costume de colocar para o futuro uma responsabilidade que é nossa, a mudança.
Como esperar que o futuro seja melhor se o presente é uma porcaria. Wake up, não é à toa que o momento em que vivemos se chama presente. É uma dádiva. É o único que pode ser modificado, melhorado, usufruído do jeito que se quer.
O mundo anda tão egoísta que até a ajuda tem que partir de forma individual e própria, não é por acaso que os livros de auto-ajuda (que responsabilidade pra um livro, que pretensão do autor) não param nas prateleiras. É preferível gastar 30 pilas com um segredo qualquer a chamar um amigo pra conversar. E a tendência é piorar, outro dia vi na TV uma moça que dizia ter mais de 5 mil amigos num site de relacionamento, gente que ela jamais poderá abraçar ou pelas quais jamais será abraçada. Conectividade nada, cadê a conexão?
O Natal hoje, serve apenas, para se empanzinar de comida, enquanto os parentes bêbados dançam funk e axé na garagem.Não se esqueça que a menina que escuta funk hoje é a cachorra de amanhã.
Caro amigo eu não desejo nada para você no próximo ano, a história me ensinou que isso não adianta.
Para o próximo ano eu QUERO muitas coisas:
Quero ver as pessoas se conscientizarem que não adianta esperar nada do governo, mas mesmo assim devem cobrar.
Quero ver as pessoas cobrarem dos políticos lisura em seus atos.
Quero que as pessoas não achem assaltos, assassinato de crianças e fuga de presos algo normal, já basta de banalização do crime.
Quero ver as pessoas contra as guerras, entendendo as diferenças e compreendendo as religiões.
Quero ver as pessoas entendendo que o trabalho é perpétuo e o ócio é temporário.
Que ser honesto não é qualidade é obrigação.
Que jeitinho brasileiro não é furar fila, estacionar nas vagas de deficientes, sentar no banco de idosos, ultrapassar farol vermelho, descer do ônibus sem pagar, isso é feio e alguns até crime.
Se isso tudo acontecer no ano que vem, prometo lhe desejar qualquer uma dessas bobagens para 2010, até lá espero que você tenha um ano de trabalho árduo, que todos os lixos jogados embaixo do tapete apareçam, afinal a faxina deve ser completa.
Lá de cima, Jesus Cristo, o motivo de toda essa comemoração não deve estar nada contente com uma bando de gente comendo panetone, bebendo, batendo carros e matando o trabalho e depois dizendo “Natale hilare et Annum Nuovo” – Feliz Natal e Ano Novo.


(O Globo 26/12/2008 -Arnaldo Jabor)

"Fragmento"

"Fragmento"

Quem dera eu ter
o dom de nunca machucar-te
Quem dera eu sonhar
com você a vida toda
Quem dera eu dar
toda a alegria que meu
coração grita
Quem dera eu ser
quem não sou
Quem dera eu pudesse
ser melhor para compreender
a vida e você.

Quem dera que o mundo
fosse outro.

Paula Cristina

Música de Ivan Lins

"Cartomante"

Nos dias de hoje é bom que se proteja
Ofereça a face pra quem quer que seja
Nos dias de hoje esteja tranqüilo
Haja o que houver pense nos seus filhos
Não ande nos bares, esqueça os amigos
Não pare nas praças, não corra perigo
Não fale do medo que temos da vida
Não ponha o dedo na nossa ferida
Nos dias de hoje não lhes dê motivo
Porque na verdade eu te quero vivo
Tenha paciência, Deus está contigo
Deus está conosco até o pescoço
(...)

Ivan Lins

Poema de Machado de Assis

"Círculo vicioso"

Bailando no ar, gemia inquieto vagalume:
"Quem me dera que eu fosse aquela loira estrela
Que arde no eterno azul, como uma eterna vela!
"Mas a estrela, fitando a lua, com ciúme:

"Pudesse eu copiar-te o transparente lume,
Que, da grega coluna à gótica janela,
Contemplou, suspirosa, a fronte amada e bela
"Mas a lua, fitando o sol com azedume:

"Mísera! Tivesse eu aquela enorme, aquela
Claridade imortal, que toda a luz resume"!
Mas o sol, inclinando a rútila capela:

Pesa-me esta brilhante auréola de nume...
Enfara-me esta luz e desmedida umbela...
Por que não nasci eu um simples vagalume?"...

Machado de Assis

"Ilusões da Vida"

"Ilusões da vida"

Quem passou pela vida em branca nuvem,
E em plácido repouso adormeceu;
Quem não sentiu o frio da desgraça,
Quem passou pela vida e não sofreu;
Foi espectro de homem, não foi homem,
Só passou pela vida, não viveu.

Francisco Otaviano

Quem eu sou?

“Nao me convidem a ser igual porque sinceramente sou diferente”

Clarice Lispector

"Mutação"


“Mutação”, por Antonia Carrara (Oficina de Criação Poética)

O planeta pede ajuda
Se hoje, há muda existência
Amanhã, a existência muda

"Eu"

Eu
Dispo-me
Nua
Crua
Quem eu sou?
Eu?
Deus
Deus
Deus
Onde está Deus?
Deus?
Eu
Eu
Eu
Dispo-me
Das leis
Do mundo
Dos homens
Onde estou?
Aqui, ali, em toda parte
Não estou.
Reflexo
Imagem
Os olhos não alcançam
Apenas estou.
Estou
De onde vim?
Deus?
Do inatingível aos olhos humanos
Profundo silêncio sublime
Para onde vou?
.
.
.
Eu?
Aqui

Sempre
Eterna respiração
Eu
Eu
Eu

Paula Cristina

...

"Os tristes dizem que os ventos gemem. Os alegres, que eles cantam."
Fernando Pessoa